Incentivo à atividade física

Fonte: Folha de S. Paulo – 26/01/2016

Programa de recompensas converte atividade física em passagens aéreas

O massoterapeuta Renato Sakamoto, 45, conseguiu fazer da corrida um hábito. Ele teve um câncer de intestino diagnosticado em 2013 e perdeu peso durante o tratamento. Quando se recuperou, voltou a engordar.

Na busca de uma vida mais saudável e estimulado por um programa de recompensas, começou a correr. O começo foi difícil, mas ele correu os 15 km da São Silvestre no final do ano passado. “Foi emocionante. Você vê na televisão, mas ao vivo é diferente”, diz.

O programa em questão é a plataforma Mova Mais –uma ideia que nasceu com o crescimento das atividades físicas de rua. “Eu pensei: já que vou correr mesmo, melhor ainda ser recompensado por isso. É uma forma interessante de ganhar pontos nesses programas em que você geralmente tem que gastar primeiro e ganhar depois –correndo não gasto nada”, diz Sakamoto.

Os pontos podem ser trocados por passagens aéreas, diárias em hotéis, aparelhos eletrônicos e outros produtos pelo Multiplus, o programa de fidelidade parceiro do site pelo qual o usuário resgata seus prêmios.

Segundo o Mova Mais, os benefícios são financiados por por empregadores, planos de saúde ou patrocinadores.

Para participar, o usuário primeiro se cadastra no site e tem de baixar no smartphone um dos aplicativos parceiros –responsáveis por monitorar a atividade física. Até agora, são três opções: Strava, RunKeeper ou MapMyRun.

Os apps mandam informações para o Mova Mais, que credita pontos para o exercício. O site valoriza mais assiduidade do que intensidade na hora de distribuir os pontos, afirma Fernando Aquino, um dos fundadores.

“Ao se cadastrar o usuário já ganha pontos, por ter dado o primeiro passo. A primeira vez que registra 30 minutos de atividade física ele também ganha. Se faz mais exercícios em até três dias, ganha mais do que na primeira vez. As pessoas já sabem que o sedentarismo faz mal e queremos ajudá-las a se manterem longe dele”, diz.

Após a primeira vez, um dia isolado de exercício vale 20 pontos. Após um “combo” de 20 sessões regulares, o usuário passa a ganhar 40 pontos por sessão. Cada 10 pontos adquiridos no Mova Mais equivalem a 1 ponto Multiplus.

Por exemplo, uma passagem de ida de São Paulo ao Rio pode ser obtida com 5.000 pontos Multiplus (uma passagem pode ser paga parte em pontos, parte em dinheiro).
Para galgar essa quantia, o usuário tem de realizar mais de 1.200 sessões regulares –exercitar-se todos os dias ao longo de quase três anos e meio.

Por enquanto, as modalidades que valem pontos são atividades praticadas ao ar livre como caminhada, corrida, andar de bicicleta ou na cadeira de rodas. Outras, que são inseridas pelo usuário nos aplicativos, não são registradas no Mova Mais porque a plataforma se vale do sinal de GPS para “garantir a qualidade” do exercício realizado (e evitar usuários mal-intencionados).

INCENTIVO

O empurrãozinho parece ter funcionado com o arquiteto Luiz Eduardo Barcala, 36. Ele pratica caminhada e anda de bicicleta todos os dias.

“Antes era só no final de semana. Por causa do site, comecei a caminhar todos os dias”, diz. Praticando exercícios e fazendo acompanhamento da alimentação com nutricionista, ele perdeu 17 kg em sete meses.

Para Saturno de Souza, diretor técnico das academias Bio Ritmo, é a falta de disciplina que mantém as pessoas sedentárias. Ele conta que, nas academias, já existe um programa de pontuação pelo qual quanto mais a pessoa treina, mais pontos ela tem e pode obter benefícios na hora de renovar a matrícula.

“Mas percebemos que não funcionou para todo mundo. A pessoa que já tinha adquirido o hábito de vir fica louca para ganhar os pontos, mas, para os sedentários, o efeito foi contrário: eles não viam a pontuação subir e ficavam desmotivados”, diz.

Segundo ele, programas de acompanhamento individual fazem mais efeito do que recompensas. “Um programa que deu certo foi o de acompanhamento individual. Nos primeiros dias, o aluno nunca treina sozinho. Firmar um compromisso e saber que o professor está esperando acaba reforçando o hábito”, diz.

PESQUISA

Recompensar pessoas quando elas mudam um hábito não é inédito. Uma pesquisa de 2008 que saiu no “Journal of the American Medical Association” obteve bons resultados usando recompensas financeiras para estimular a atingir metas de perda de peso.

Os participantes deveriam tentar perder cerca de 7 kg em 16 semanas. Cada um dos dois grupos experimentais recebeu um tipo de incentivo –aposta ou sorteio.

No grupo aposta, os participantes apostavam o próprio dinheiro na perda de peso. Se cumprissem a meta, receberiam o valor investido mais um extra. Do contrário, perderiam tudo. No grupo sorteio, os que cumprissem a meta concorriam a um prêmio em dinheiro.

Deu certo: o grupo aposta, na média, perdeu 6,35 kg, o grupo sorteio perdeu 5,9 kg e o grupo-controle perdeu apenas 1,7 kg. Mas assim que o estudo –e os pagamentos– acabaram, os participantes voltaram a engordar.

“Mudar hábitos é muito difícil, mas algumas condutas ajudam, como não definir metas drásticas e procurar alguma atividade que seja prazerosa”, diz Diego Leite de Barros, fisiologista do HCor.