Musculação: saúde também na terceira idade

Fonte: Folha do Povo-25.01

A musculação sempre foi muito requisitada por quem deseja ficar em forma para as estações quentes do ano, principalmente no verão. Além do benefício estético, a prática física destinada em força melhora inclusive sua condição cardiovascular.

As vantagens ao se praticar musculação são tão benéficas que também passaram a ser indicadas para idosos. E os benefícios são até mais interessantes que os do chamado “projeto verão”. Para quem já passou dos 60 e quem apresenta doenças cardíacas e artrose, por exemplo, podem ter mais benefícios com a prática de levantamento de pesos, duas a três vezes por semana, alternados com treinos aeróbios.

De acordo com Dhanilo Cruz especialista em atividade física adaptada a saúde e consultor do CEPAASP – Centro Paulista de Apoio aos Aposentados e Servidores Públicos, um programa regular de fortalecimento não beneficia apenas os idosos mais frágeis. Para o especialista, a musculação aliada aos exercícios aeróbios pode ajudar na redução ou perda dos declínios funcionais associados ao envelhecimento.

“Diversos benefícios estão associados à prática regular da musculação, principalmente à medida que uma pessoa vai envelhecendo. Para idosos pode ser imprescindível na redução dos sinais e sintomas de várias doenças e condições crônicas, entre eles: artrose, diabetes, osteoporose, obesidade, dor nas costas e depressão”, comenta o educador físico.

Músculos contra a depressão – O treinamento de força, especialmente em conjunto com o exercício aeróbico regular, também pode ter um impacto profundo sobre a saúde mental e emocional de uma pessoa na terceira idade, garante Dhanilo, que também é membro-pesquisador em atividade física pela USP.

A população está envelhecendo, estudos mostram que teremos para 2020, meio bilhão de pessoas idosas no mundo, por isso, faz-se necessário começarmos a criar bons hábitos alimentares e pratica regular de atividades. Vale ressaltar que hábitos diários, como por exemplo: subir escadas; descer do ônibus um ponto antes; andar mais, também contribui para combater o “mal do século” Sedentarismo, que atrelado a outras patologias, pode levar a morte.

Diversos especialistas defendem a prática da musculação na terceira idade, mas se ainda existem dúvidas, você pode conferir abaixo uma lista de contrapartidas positivas:

1. Garante força e flexibilidade: pontos fundamentais para manter o idoso confiante nas demandas habituais, tornando-o mais resistente a quedas, uma das maiores preocupações das pessoas na terceira idade e que, muitas vezes, limitam o idoso, resultando em seu isolamento;

2. Aumenta a densidade óssea: a musculação na terceira idade pode ajudar a proteger o corpo contra a osteoporose;

3. Diminui a gordura corporal: aliada a uma dieta balanceada, o treino de força para idosos é importante para a manutenção do peso. Este tipo de prática é de baixo impacto, o que reduz a probabilidade de lesões e fraturas;

4. Combate a dor articular: a musculação na terceira idade pode contribuir para a redução de dores das articulações, como coluna, ombros e joelhos;

5. Ajuda a manter a boa postura corporal: ao treinar a força, é possível notar uma melhora na postura, já que com o avanço da idade, o sistema muscular esquelético vai perdendo a sua tonicidade;

6. Afasta sintomas de doenças crônicas: a musculação na terceira idade contribui na redução – em alguns casos, dos sintomas de depressão, entre outros males. Isso se deve a elevação dos níveis de serotonina, melhoria da freqüência cardíaca e da pressão arterial;

8. Mantém a autoestima: em alguns casos, melhorar o condicionamento físico pode contribuir para que o idoso tenha mais confiança no seu dia a dia, o que influencia em uma melhor qualidade de vida.

Mas Dhanilo Cruz alerta para os cuidados que devemos ter na hora de iniciar um programa de atividades ou exercícios. “Lembre-se sempre que, antes de começar a prática da musculação na terceira idade é preciso uma avaliação médica e o acompanhamento de um profissional de educação física. A avaliação física também é extremamente importante no processo de inserção do idoso na academia, pois um bom profissional pode criar um cronograma de treinos para o objetivo e segundo as limitações de cada pessoa”, finaliza o especialista.