Número de cirurgias plásticas pagas por plano mais que dobra em 5 anos

Fonte: Folha de S. Paulo – 19/02/2016
Por Maria Cristina Frias

As operações plásticas no país custeadas por convênios médicos passaram de 87,2 mil, em 2009, para 189,4, em 2014 -um aumento 117% em cinco anos, segundo dados da SBCP (Sociedade Brasileira de).

É a primeira vez que esses procedimentos crescem mais que os particulares, que subiram 91% nesse período, de 397,2 mil para 757,7 mil.

Um dos principais motivos para a maior participação dos planos médicos, de acordo com a entidade, é a popularização das plásticas reparadoras, feitas para corrigir marcas deixadas por acidentes e doenças, como o câncer.

Atualmente, há cerca de 600 mil novos casos de câncer ao ano, pelos dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), e alguns tratamentos envolvem métodos invasivos.

“Quase todas as operações por convênio são reparadoras. O paciente está mais consciente e, em muitos casos, é orientado pelo oncologista”, diz Luis Henrique Ishida, presidente regional da SBCP.

Em muitos casos, o tratamento do plano já prevê a operação reparadora.

“Como o convênio não pode negar esse procedimento ao contratante, os tratamentos para reparação, que eram 27% das cirurgias plásticas em todo o país em 2009, passaram para 40% em 2014.”

Somadas, as intervenções por plano e as de pacientes particulares cresceram 95,5%.

“No futuro, a tendência é que os procedimentos não estéticos aumentem ainda mais. A repercussão que eles têm na qualidade de vida do paciente faz com que mais médicos os indiquem.”

Veja também

Para ser boa, cirurgia com robô depende de bom méd... Fonte: Folha de S. Paulo - 06/08/2016 Por Miguel Srougi* O passar dos anos é acompanhado de tamanha deterioração dos nossos genes que se fosse d...
Uso do Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) para ... Introdução Sintomas como insônia, fadiga, irritabilidade, esquecimento, dificuldade de concentração e queixas somáticas podem sinalizar a existênci...
Qualidade deve entrar na conta da saúde Fonte: O Globo - 20/09/2017 Por Glauce Cavalcanti O modelo de remuneração do segmento de saúde suplementar precisa mudar. É consenso entre prest...